Resenha : Minha Sombria Vanessa - Kate Elizabeth Russell

segunda-feira, 3 de agosto de 2020


Título: Minha Sombria Vanessa
Autora: Kate Elizabeth Russel
Classificação: 4.4 [Skoob]
Páginas: 432
Editora: Intrínseca
Gênero: Dark, Ficção Adulta
Esta não é uma história de amor.

Quando soube desse livro senti uma curiosidade enorme, vi apenas uma resenha e foi suficiente para me fazer comprar. Quero deixar frisado que o livro tem gatilhos em relação a pedofilia e relacionamento abusivo.
Aqui temos Vanessa Wye, uma mulher de 32 anos que trabalha em um hotel, e, que descobre que seu professor do ensino médio, Jacob Strane, está sendo acusado de abuso sexual por uma ex-aluna. Isso a faz relembrar acontecimentos do passado, do internato que estudou e de como era talentosa e solitária.
Os capítulos são divididos entre 2017, em que Vanessa tem 32 anos, e 2000, que é a fase em que vai para o internado e conhece Strane.
Quando chego á aula de literatura norte-americana, a última do dia, a primeira coisa em que reparo é que o Sr. Strane trocou de camisa desde o discurso de boas-vidas. Ele está em pé na frente da sala, encostado no quadro negro, os braços cruzados, parecendo ainda maior do que no palco.
Claro que por ser um internato há muitas normas e regras rígidas, o que não é problema algum para Vanessa. Ser solitária e sem amigos fez com que não tivesse muito interesse em tentar se relacionar com outros colegas, afinal, quem seria maduro o suficiente para falar de Shakespeare, sem que soasse leigo?Isso foi motivo para que ela se aproximasse de Strane, além de ser seu professor de literatura, Vanessa viu nele uma maturidade e compreensão que os outros não tinham. Jacob, claro, viu essa solidão e se aproximou, e se envolveu.

Então, ambos passaram a se encontrar periodicamente na sala de Strane. Até então, como um professor e uma aluna, mas isso se intensifica quando ele passa a mão na perna dela, e, quando não obteve nenhum tipo de alarde ou repulsa vindo de Vanessa, foi motivo suficiente para que continuasse.
Tudo começa de forma simples. Jacob elogia seu cabelo, sorri de forma carinhosa, acaricia sua perna, empresta livros, faz um jogo mental enorme, e por fim, "da o bote". Dizer “ eu vou estragar você” não ameniza o fato de ser errado tocar uma menor de idade, não é uma redenção e com certeza não é um passe fazer tal ato.
Ele diz que sou perfeita, tão perfeita que não posso ser real. Ele me beija e outras coisas começam a acontecer depressa, coisas que ainda não fizemos: tirar a parte de cima do meu pijama pela cabeça, beliscar e apertar, pôr a mão dentro do short do pijama e me apalpar ali.
Me lembro de comentar com minha namorada que entendia a fascinação de Vanessa pelo Jacob, isso quando ainda estava nas primeiras 100 páginas do livro, o motivo é que de certa forma ele fazia você se sentir especial, parecia que era eu quem estava sendo a protagonista do livro e não a própria personagem principal. Me senti envolvida pelas falas bem articuladas de Strane e sua total forma predatória e passiva de falar sem parecer um caçador. É a primeira vez que me senti extremamente desconfortável com um livro, de alguma forma fui transportada para dentro dessa história. O livro é escrito em primeira pessoa, então vamos conhecer a personagem principal de forma profunda e avassaladora.
SIM. AVASSALADORA.

O relacionamento abusivo com Jacob transforma a personalidade de Vanessa de uma forma que você consegue notar como algo traumático atinge alguém de uma forma devastadora. A relação distanciada com os pais, a vida solitária e bagunçada que tinha, e a visão distorcida sobre o futuro.. Tudo. 

Estou batendo palmas para Bel Rodrigues em sua fala no vídeo sobre Minha Sombria Vanessa, pois não conseguiria expressar forma mais clara e com tanta propriedade, o quanto essa mulher é maravilhosa para descrever esse livro. 

“ ... o leitor percebe como é uma relação abusiva desde o primeiro instante, desde o primeiro toque, primeiro sorriso. Tudo. Tudo premeditado... quando um homem de 42 anos toca em uma garota de 15 e diz que o corpo dela é maleável, ele transforma a passividade da garota num elogio. Em algo precioso e raro. E não é. Quando a vigia o tempo inteiro enquanto ela está no colégio, até mesmo no alojamento, ele tenta faze-la acreditar que a opressão é lisonjeira, e ela não é. Quando ele manipula a solidão de uma adolescente a fazendo crer que isso a deixava única, quando ele se deita ao lado de uma adolescente virgem e desacordada, e toca o corpo dela enquanto ele está nu. Isso não é romantismo, isso não é amor, isso não é fetiche. Isso é pedofilia.” 

Teve momentos em que precisei parar no meio de um acontecimento ou de algo que Vanessa e/ou Strane disse, pois não aguentava de tanta repulsa. Eu percebi que a personagem principal sabia que era errado os toques, as carícias; e quando via Jacob usando o ponto fraco da garota para deixa-la com medo, para fazê-la pensar que ninguém se importaria e que isso a deixaria marcada para sempre, eu não aguentava. 
Eu precisava respirar. 
Sentia uma vontade enorme de segurar Vanessa pelos ombros e dizer que aquilo não era certo, que aquilo nunca deveria acontecer com ela, mas, parecia impossível tentar abrir os olhos de alguém que não se via como vítima. 
- Eu não me vejo como vítima – digo. – Eu sabia no que estava me metendo. Eu quis. 
E isso, queridos leitores, me pegou em cheio. Pois, por mais que você entenda o errado, por mais que isso desconstrua totalmente sua forma de viver ou ver certas particularidades da vida, eu percebi que Vanessa não queria ser vítima, não queria ser marcada como tal, pois, delatar o que aconteceu, seria confirmar o que ela sofreu. Minha Sombria Vanessa é o primeiro livro publicado por Kate Elizabeth Russell, e com certeza é o melhor livro que li em 2020.

2 comentários :

  1. Li o livro esta semana. era uma mistura de não conseguir parar e não conseguir ir em frente. de pular linhas e voltar. de fechar o livro. de mexer com a vida. de entender a vítima. de querer sumir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glorinha, realmente é um misto de sentimentos que não dá para falar. Eu pensei em todas as crianças e mulheres que passaram/passam por isso e fiquei impactada com tão cru é esse livro.

      Excluir

Hey, gostou da postagem?
Então deixe sua opinião/crítica/elogio aqui!
O Paradise Books agradece seu comentário, obrigado pela visita!
obs.: Não respondemos comentários em anônimo; Não é permitido o uso palavras ofensivas; Não compartilhamos livros, isso vai contra a política de direitos autorais.