Resenha: O Fogo Entre a Névoa - Renée Ahdieh

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Título: O Fogo Entre a Névoa
Autora: Renée Ahdieh
Classificação: 3.7 [Skoob]
Páginas: 400
Editora: Globo Alt
Gênero: Young Adult, Fantasia
Desde pequena Hattori Mariko ouvia que por ser mulher tinha que apenas abaixar a cabeça e acatar ordens, e mesmo sempre indo contra tudo o que sua família desejasse que fosse, ela não podia impedir o inevitável. Seu pai praticamente a vendeu para um casamento que aumentaria o status do seu clã, e agora aos 17 anos estava prometida ao filho do Imperador.

Porém no caminho para a cidade Imperial, sua caravana é atacada violentamente, e ela acaba sendo a única sobrevivente, escapando por pouco pela Floresta Jukai. Ser dada como morta acaba sendo uma grande oportunidade para Mariko ter um pouco de liberdade. E é se vestindo como um garoto camponês, que ela vai conseguir infiltrar e espionar o Clã Negro, que é supostamente o grupo que criou a emboscada para matá-la.

Por mais que agora tenha o que tanto desejou, Mariko não imaginou o quão difícil seria manter essa nova personalidade que criou, e como teria que endurecer seu espírito e superar seus medos sozinha. Na sua estadia com o Clã Negro, nossa protagonista irá conhecer cada um dos oficiais e seu líder, Ranmaru, na tentativa de encontrar suas fraquezas e descobrir o motivo pelo qual sua caravana foi um alvo.

O problema de tudo é que, quanto mais tempo Mariko passa com o grupo, sua ligação com eles se torna mais forte, e acaba percebendo que com o Clã ela finalmente achou um lugar ao qual pertence. E após se aproximar tanto deles, ela acaba descobrindo segredos que vão faze-la se questionar sobre tudo o que já acreditou, e repensar seus conceitos sobre as pessoas que mais confiava.

O único poder que qualquer homem tem sobre você é o poder que você concede.
Nós recebemos menos, somos tratadas como se fossemos menos. E sempre que cometemos um erro, esse erro tem um peso muito maior.  
O Fogo Entre a Névoa é um lançamento que eu estava aguardando há um tempo, principalmente por ser um livro inspirado na história da Mulan (minha fave da Disney), e além disso se passar no Japão Feudal. Renee Ahdieh continua com uma escrita maravilhosa aqui, que sabe nos dar detalhes suficientes sobre o ambiente em volta dos personagens sem ser cansativo, e traz um choque de culta diferente.

Os personagens são bem interessantes e me fizeram lembrar de alguns animes antigos de samurais que já assisti. Mariko foi uma protagonista interessante de acompanhar e ver crescer, principalmente durante os diálogos em que ela está presente, sempre traz uma energia maior para a cena. O desenvolvimento de cada plot é muito bom, dando destaque para algumas revelações do final, que me surpreenderam um pouco. Como eu já estava esperando, a fantasia incluída na história é bem leve e natural para o enredo, portanto simplesmente adorei!


Apenas não dei 5 estrelas porque me incomodei com a constante repetição de certas frases nos capítulos da personagem principal, chega uma hora que perde o impacto. E também o romance que foi de certo modo abrupto, na minha opinião a conexão do casal estava começando a se elevar da amizade criada entre os dois, e a autora já pulou para uma paixão escandalosa.

O livro é indicado para os fãs da autora, ou para quem quer conhecer a escrita dela, e além disso vai ter uma chance de mergulhar numa grande história situada no Japão Feudal, portanto quem curte o cenário e personagens orientais, apenas leia e se apaixone.

Nunca duvide. Nunca tema. Nunca repense. Essa é a única maneira de permanecer vivo.

Um comentário :

  1. Eu ainda não li nada da autora, mas fiquei curioso. O enredo parece ser bem interessante e o fato de se inspirado em Mulan e se passar no Japão Feudal já são elementos suficientes para me fazer ler o livro. Adorei a dica.

    ResponderExcluir

Hey, gostou da postagem?
Então deixe sua opinião/crítica/elogio aqui!
O Paradise Books agradece seu comentário, obrigado pela visita!
obs.: Não respondemos comentários em anônimo; Não é permitido o uso palavras ofensivas; Não compartilhamos livros, isso vai contra a política de direitos autorais.