Resenha: Um Motim no Tempo | Infinity Ring #1- James Dashner

sábado, 30 de dezembro de 2017

Image result for Um motim no tempo capa
Título: Um Motim no Tempo | Infinity Ring (Livro #1)
Autor: James Dashner
Classificação:  3.7 (Skoob)
Páginas: 239
Editora: Seguinte
Gênero: Aventura, Ficção, Distopia, Infanto Juvenil

Dak Smyth é um garoto inteligente, e seu passatempo preferido consiste em ler imensos livros sobre qualquer assunto histórico, de mitologia grega até as grandes navegações. Sera Froste é uma garota das ciências exatas, amante de experimentos científicos que envolvam cálculos, partículas atômicas e tudo relacionada à física quântica. 

Enquanto os pais de Dak estão viajando à trabalho, os dois melhores amigos, decidem se aventurar no laboratório dos pais do garoto. Lá eles encontram nada mais nada menos, do que um dispositivo, que ao Sera estudá-lo, ela descobre que ele possibilitará realizar viagens no tempo. Por ser uma entusiasta nos estudos que envolvem o mecanismo, ela decide tentar finalizar os cálculos necessários e fazer com que o objeto, nomeado Anel do Infinito, realmente fosse capaz de funcionar. 

Enquanto isso, furacões, terremotos e outros desastres naturais estão destruindo cidades, estados e países inteiros. E a SQ, uma organização responsável por "controlar" o planeta, aparentemente não está se preocupando com esse caos que pode dar um fim em toda a existência da humanidade.

Após o retorno do casal de cientistas, e com os assuntos relacionados ao Anel do Infinito resolvidos, os jovens protagonistas irão viajar no tempo. No entanto, na primeira viagem de teste realizada, os pais do garoto se perdem no meio do retorno para o presente. É a partir desse momento, que Dak e Sera, são recrutados por um grupo de pessoas que monitoravam o laboratório em que estavam. Nomeados Guardiões da História, eles são uma sociedade fundada por Aristóteles no ano de 336 A.C. que mantém atividade com o objetivo comum de um dia salvar o mundo do desastre que apenas um visionário como Aristóteles poderia ter previsto. Com a promessa de irão conseguir trazer de volta os pais da Dak perdidos no tempo, as duas crianças decidem colaborar e se aliar aos Guardiões.
O tempo havia saído dos eixos - era nisso que os Guardiões da História acreditavam. E como as coisas não podiam ser consertadas, só havia uma esperança ... voltar no tempo e corrigir o passado. [...] Aristóteles sabia que a viagem no tempo seria possível algum dia, e nós precisaríamos dela para voltar e corrigir as Grandes Fraturas. Para fazer o mundo retornar ao seu rumo e impedir a nossa realidade chegue ao fim em um terrível Cataclismo. 
James Dashner desenvolve uma narrativa interessante de imersão dos personagens no passado, que tem como objetivo evitar as Grandes Fraturas, que eram geradas por alterações em eventos históricos importantes causados por agentes da SQ, mudando assim o percurso da história para obterem mais poder ao decorrer dos anos.

Cada volume da série Infinity Ring, aparentemente, narrará uma viagem ao passado, e em Um Motim no Tempo, Dak e Sera irão parar na Espanha de 1492, e terão um papel importante em um motim que envolve a expedição de Cristóvão Colombo e a chegada nas Américas. O desenvolvimento da história é bem simples, o livro é realmente uma aventura juvenil, em que crianças carregam o fardo de salvar o destino da humanidade. Eu acho que fui com muita sede ao pote, esperando um história mais complexa sobre viagens no tempo, por isso que minhas expectativas com a leitura não foram tão satisfatórias. A narrativa é bem superficial, e no meu ponto de vista não consegui me apegar muito aos personagens, ou realmente conhece-los.

Pra quem quer uma leitura divertida, em um ambiente que podemos considerar distópico, dominado por uma organização que monitora as atividades das pessoas; com protagonistas engraçados e com uma inteligência fora do comum, essa leitura é recomendada. Além de fazer uma visitinha pelo passado, James Dashner faz o leitor adquirir um aprendizado de História sem nenhum esforço. Passear pela Espanha, observar suas vestimentas da época, o modo de conversar é divertido para os personagens, mas também para o leitor. Infinity Ring #1 é finalizado de um modo bastante atrativo e que despertou minha curiosidade para a sequência, e espero que nos próximos volumes a história não seja tão superficial, e que possamos conhecer cada vez mais nossos protagonistas. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Hey, gostou da postagem?
Então deixe sua opinião/crítica/elogio aqui!
O Paradise Books agradece seu comentário, obrigado pela visita!
obs.: Não respondemos comentários em anônimo; Não é permitido o uso palavras ofensivas; Não compartilhamos livros, isso vai contra a política de direitos autorais.