Resenha: Caminho das Sombras [Anjo da Noite #01] - Brent Weeks

quarta-feira, 1 de junho de 2016


Título: Caminhos das Sombras [Trilogia: Anjo da Noite #01]
The Way of Shadows | Night Angel #01
Autor: Brent Weeks
Classificação: 4.4 [Skoob]
Páginas: 431
Editora: Arqueiro
Gênero: Ficção, Fantasia


O assassino perfeito não tem vínculos, apenas vítimas.

Azoth, vive em Cenária, um país que fora conquistado tantas vezes ao longo dos séculos que não havia muito do que se orgulhar além da própria sobrevivência. Com uma arquitetura grosseira, pesada e sem simplicidade, os prédios cenários eram todos atarracados, úmidos, vagabundos e baixos, sobretudo nas Tocas - construções feitas de bambu e fibra de arroz sem muito estilo próprio caracterizadas por um odor invasivo de currais. Rejeição e desespero eram os vapores que emanavam de cada ruína bolorenta e de cada montinho de merda que havia nas Tocas. E é esse ambiente, que Azoth associa como lar. Cercado de pobreza e imundice, e morando na guilda* Dragão Negro, ele é só mais um garoto sorrateiro que passa o dia buscando por moedas de cobre para arcar com sua estadia na guilda, evitar olhares furiosos e constantes agressões dos gerenciadores abusivos. 

Cansado dessa realidade e de se submeter ao medo, em frente a morte cada vez mais próxima, Azoth decide, com o apoio de seus dois únicos amigos, abraçar a vontade se tornar um aprendiz de matador e deseja que seu mestre seja Durzo Blint. O homem que as crianças alegavam ser um demônio, e que até hoje, nunca havia aceitado aprendizes, e inicialmente não iria abrir exceções para Azo. 


" - [...] Mas eu nunca aceitei aprendizes e você não será exceção. - Ele fez uma pausa e ficou girando a navalha preguiçosamente entre os dedos. - Bem, a menos que faça uma coisa que não consegue fazer.A esperança explodiu dentro do peito de Azoth. Pela primeira vez em meses.- Qualquer coisa."

Durzo Blint é o artista mais talentoso da cidade. Arte que consiste em matar. Ele é o Derramador mais temido por muitos, o mais habilidoso, uma lenda viva pertencente aos Anjos da Noite. Um derramador é um como um assassino, e entre os existente, Blint era sem dúvidas o melhor e qualquer dúvida quanto a isso não durava muito. Um assassino que não sente remorso pelas suas vítimas e  não se importa de ter as mãos manchadas de sangue. 

A vida é vazia. Quando tiramos uma vida, não estamos tirando nada de valor. Derramadores são matadores. É só isso que fazemos. É só isso que somos. Não há poesia no ofício da amargura.


Caminho das Sombras, possui uma trama narrada em terceira pessoa, muito bem construída, rica em detalhes e descrições. Brent Weeks sabe entreter o leitor e guiar a leitura, à medida que novos personagens e diversas histórias são inseridas e enriquecem o plano de fundo. Você vai se encontrar imerso em assassinatos, estrategias, amadurecimento de personagens, luta pelo trono (que me recordou um pouco Crônicas do Gelo e Fogo) e personagens carismáticos. Vai acompanhar as tentativas de Azoth em ser um assassino, em se tornar um aprendiz, e os sacrifícios que deve fazer para a vida que sempre desejou, em que jamais sucumbirá ao medo novamente. 

Para os amantes de fantasia, é um livro mais do que recomendado. Um misto de elementos fantasiosos de magia e escuridão com questões da realidade, como ambição, classes sociais, disputas por poder, abuso infantil e a esperança do escape dessa realidade. A complexidade da trajetória do livro é fascinante, intrigante e que vai te encantar e te fazer ansiar por mais. O livro deve ser lido com atenção, pois os pequenos detalhes farão diferença a cada capítulo lido. Não vou aprofundar mais na história e no caminho tomado por Azo, porque revelam as surpresas que Caminho das Sombras deve lhe proporcionar no momento da leitura. 

A diagramação do livro é bem feita, no inicio encontramos um mapa lindo, situando as regiões citadas na história. E os capítulos são bem curtos, que no meu ponto de vista, deixam a leitura mais fluída. Desejando os próximos volumes. ♥ No momento ainda não possuem data de lançamento, mas acredito que a editora não irá demorar para publicar. Espero que essa livro possa encantar muitos fãs de fantasia, Brent Weeks precisa entrar na sua lista.  

*guilda: associação que agrupa indivíduos com interesses comuns (negociantes, artesãos, artistas) e visa proporcionar assistência e proteção aos seus membros

Próximos volumes: 

    

7 comentários :

  1. Oi! Fiquei muito interessada por esse livro quando você falou dele no evento do Dia da Toalha e pretendo comprar muito em breve. Gostei muito da resenha, deu pra entender um pouco melhor da trama!
    Gislaine | Paraíso da Leitura

    ResponderExcluir
  2. Estou querendo muito ler esse livro Achei as capas maravilhosas e como sua resenha é a primeira que leio sobre ele, estou super curiosa sobre o andamento da história. Espero ter o livro em mãos em breve para começar a leitura.

    ResponderExcluir
  3. Antes eu não tinha interesse em ler esse livro, porém após ler sua resenha confesso que me senti atraída a leitura, até porque a estória tem uma trama muito bem construída, e envolvente, com personagens cativantes. Espero ter a oportunidade de ler esse livro logo.

    ResponderExcluir
  4. Não costumo comprar ou ler esse tipo de gênero mas sua resenha me deixou bastante interessada nele.
    vou dar uma espiada nesse livro!!!

    ResponderExcluir
  5. Albexia Gabrielly7 de junho de 2016 15:37

    Não é um gênero muito lido por mim recentemente, mas agora estou interessada! Quem sabe faça me interessar mais pelo por esse tipo de livro...

    ResponderExcluir
  6. Oláá
    Não costumo ler esse tipo de livro muito frequentemente, mas acho super interessante e repleto de emoções , gostei muito da premissa desse livro e espero poder lê-lo!
    Bjoos

    Jovem Literário

    ResponderExcluir
  7. Aquele momento que já quero sahuasu

    ResponderExcluir

Hey, gostou da postagem?
Então deixe sua opinião/crítica/elogio aqui!
O Paradise Books agradece seu comentário, obrigado pela visita!
obs.: Não respondemos comentários em anônimo; Não é permitido o uso palavras ofensivas; Não compartilhamos livros, isso vai contra a política de direitos autorais.