Resenha: Filha da Floresta [Sevenwaters #01] - Juliet Marillier

domingo, 27 de março de 2016


Título: Filha da Floresta [Sevenwaters #01]
Autor (a): Juliet Marillier
Classificação: 4.6 (Skoob)
Páginas: 616
Editora: Butterfly
Gênero: Fantasia

A Magia sempre esteve presente na vida dos cidadãos de Sevenwaters, eles acreditam que o Sétimo filho do Sétimo filho será o mais poderoso entre os irmãos, mas eles não imaginavam que esse sétimo filho seria uma menina, pois todos os anteriores eram garotos e para complicar mais um pouco a esposa de Lorde Colum faleceu logo após o parto.

As pessoas de Sevenwaters sempre gostaram de contar histórias e agora Sorcha, nossa protagonista e narradora, irá nos contar a sua.

Mas qual é o verdadeiro início de minha história? Quando meu pai conheceu minha mãe, apaixonou-se perdidamente e decidiu se casar por amor? Ou pode-se dizer que foi quando nasci? Era para eu ser o sétimo filho de um sétimo filho, mas a deusa resolveu brincar com nosso destino e eu nasci menina. E minha mãe morreu no parto.
Sorcha começa nos contando lembranças de sua vida quando mais nova, mas seu destino começa a tomar forma quando ela está com apenas 12 anos. Os filhos de Lorde Colum não eram muito próximos do pai, pois desde que sua esposa faleceu ele perdeu um pouco da alegria de viver. Mas para compensar essa ausência dos pais eles se tornaram muito unidos. Liam, Diardmid, Cormack, Conor, Finbar, Padriac e Sorcha. 

Cada um possuí um pouco de magia em si, um deles se dá bem com animais, outro é muito inteligente e se tornará um druida, outro está mais achegado a batalhas e Sorcha gosta das plantas, a garota é filha da floresta. Ela foi instruída a usar as plantas e ervas a favor da saúde. As pessoas que possuíam esse dom eram chamadas de curandeiras ou bruxas, isso dependia da crença da pessoa.


Sempre imagino nós sete como membros de um corpo. Podemos estar separados e ter a impressão de que não há futuro para nós. Podemos seguir caminhos diferentes, cair, quebrar, e voltar a ser inteiros novamente. Mas no fim tão certo quanto o sol e a lua atravessam o arco dos céus todos os dias, a força de um será a força dos sete.
Lorde Colum decide se casar novamente e seus filhos pressentem que essa não é uma boa decisão. Tentam conversar com o pai, porém sua futura esposa já está com suas garras cravadas nele. Lady Oonagh consegue o que quer e agora sua meta e separar os filhos do pai. Ela joga uma maldição nos meninos e a única pessoa que pode reverter a maldição é Sorcha. Nesse momento sua história realmente começa.

O livro me prendeu desde suas primeiras páginas, realmente Sorcha (Juliet Marillier) sabe contar uma história! O livro é baseado no conto Os Seis Cisnes dos Irmãos Grimm e também conta algumas lendas celtas. Sorcha com sua personalidade marcante se tornou uma das minhas protagonistas femininas favoritas. A tarefa que lhe foi dada não era fácil e tudo que ela passou durante o livro me fez admirá-la. Essa leitura conseguiu me encantar e emocionar. Algumas partes me marcaram bastante e uma delas foi quando Sorcha fala que está cansada de ser forte e a Dama da Floresta lhe responde que ela é o que é. Forte, determinada, bondosa, amorosa e corajosa. Sempre colocando a família em primeiro lugar.

A Bruna do Blog Meu Mundinho Fictício disse que eu iria gostar dessa leitura, na verdade eu me apaixonei por ela. É tão bom ter ao menos um amigo que leu o mesmo livro que você, pior coisa do mundo é não ter com quem conversar sobre um livro que você amou. O livro possui Shipp, eu shippando um casal e a Bruna outro. Gostei muito do final apesar de não ter sido o casal que eu shippava a ficar junto.
Li um livro de fantasia que não tinha Shipp, me entediei demais. 

Os três primeiros livros fazem parte da Trilogia Sevenwaters e possuem um fechamento, mas a autora escreveu mais três livros ambientados no mesmo universo e os colocou como parte da Coleção Sevenwaters. A Editora Butterfly já publicou quatro livros e em breve eu lhes trago as resenhas. Deixo aqui as capas dos próximos exemplares.

     


Mas de uma coisa você deve se lembrar: não existe luz ou trevas. Nós é que vemos o mundo assim. Não existe bem ou mal. Tudo muda o tempo todo e, ao mesmo tempo, continua igual.

8 comentários :

  1. Adorei a resenha ! Já estou quase acabando de ler A filha da floresta e estou amando !

    ResponderExcluir
  2. Sou apaixonada por esse livro, mas foi um dos livros que mais sofri com a protagonista, como ela se ferra! Tô louca para ler o segundo, tenho aqui, e esse ano ainda leio hihi!

    Miquilis: Bruna Costenaro

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Oii! tô louquinha por esses livros...Minha amiga começou á ler, tá amando! E essas capas gte? São maravilhosas! Gostei mto das sinopses dles, a autora tá de parabéns! Bjs!

    ResponderExcluir
  5. O que falar desse livro a não ser que amo demais!!!
    Sim, a melhor coisa do mundo é ter um amigo que já leu e amou os mesmo livros que a gente. E esse é um do qual não me canso de falar

    ResponderExcluir
  6. Olá...
    Ainda não li esse livro, mas amei a resenha e pretendo lê-lo... Adorei a frase "não existe luz ou trevas"... Realmente, muitas vezes somos nós que o tornamos assim...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Faz um tempo que quero ler a Trilogia Sevenwaters, gostei bastante da historia da serie e dos personagens que me conquistaram principalmente a principalmente a Sorcha e fiquei curiosa sobre qual vai ser esse casal !!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Paula!

    Sou apaixonada por esse livro também! Ainda não tive a oportunidade de pegar o segundo, mas A Filha da Floresta foi espetacular.
    Fiquei profundamente tocada por Sorcha. Que mulher. Gente, incrível. Maravilhosa.
    Seus irmãos também me emocionaram em alguns momentos e foi um livro muito bom.

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Hey, gostou da postagem?
Então deixe sua opinião/crítica/elogio aqui!
O Paradise Books agradece seu comentário, obrigado pela visita!
obs.: Não respondemos comentários em anônimo; Não é permitido o uso palavras ofensivas; Não compartilhamos livros, isso vai contra a política de direitos autorais.