Resenha: Proibido - Tabitha Suzuma

domingo, 28 de setembro de 2014


Título: Proibido
Autor(a): Tabitha Suzuma
Classificação: 4.6 (Skoob)
Páginas: 304
Editora: Valentina

Desde que fiquei sabendo do lançamento de Proibido no Brasil fiquei querendo o livro, enrolei um pouquinho, mas comprei.
Sabia que o livro abordava um tema polêmico: Incesto. 
Confesso que não imaginei que esse livro me traria tantas emoções a tona, mas me surpreendi. Um livro diferente e irei escrever uma resenha um pouco diferente das que estão acostumados aqui no Paradise. Acompanhem:


Aceitação foi o primeiro sentimento que este livro me trouxe, pois como aceitar o amor de dois irmãos? Confesso que na minha cabeça isso parece muito bizarro, mas a Thabita nos apresentou um amor tão puro, tão inocente, tão lindo e forte que não teve como eu achar isso errado enquanto lia o livro. Eu torci por eles durante todo o livro. Vamos as apresentações:

Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.
"Nunca imaginei minha vida sem ele; como essa casa, ele é meu único ponto de referência em meio a uma existência difícil, em meio a um mundo instável e assustador. A ideia de ele ir embora me faz sentir um terror tão extremo que chego a ficar sem fôlego. Eu me sinto como uma daquelas gaivotas cobertas de petróleo após um vazamento, me afogando em um mar negro de alcatrão e pavor."

Esse é Lochan ou Lochie para os mais achegados, o membro mais velho da família Whitely. Ela possuí cinco membros.



Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.
“Ele sempre foi tão mais do que apenas um irmão. Ele à minha alma gêmea, meu oxigênio, a razão pela qual espero com ansiedade pelo momento de acordar todos os dias. Sempre soube que o amava mais do que qualquer pessoa no mundo - e não apenas de um jeito fraternal, como me sinto em relação a Kit e Tiffin. Mesmo assim, nunca me passou pela cabeça que pudesse haver um passo a mais…”

Maya é dedicada a sua família e tem um cuidado maior com seu irmão Lochan, ele não é uma pessoa muito sociável. Na escola não possui amigos, tem as melhores notas, não consegue começar uma conversa com seus colegas de classe e sofre bullying por isso.

Os outros membros da família Withely são: Kit, Tiffin e Willa.

O pai deles é um poeta que saiu de casa quando Lochan tinha 12 anos. Sua mãe uma bêbada que nunca está presente, tem um namorado e passa mais tempo com ele que com seus filhos. Toda a responsabilidade da casa fica no ombro dos irmãos mais velhos. Cozinhar, lavar, arrumar casa, ajudar no dever de casa dos mais novos e ainda assim se dedicarem a seus estudos. Lochan está no último ano e em breve entrará para a faculdade. A maior preocupação de Maya e Lochie é perder os irmãos para a justiça.

Dor, eu sofri junto com eles quando começou a aparecer esse sentimento que eles queriam tanto sufocar, mas que não tinha como. Como a maioria das pessoas eles também não aceitavam isso, achavam nojento, porém pra eles era mais ou menos assim que acontecia:
"- Nesse momento, a única coisa que eu sei e que te amo - digo em meu desespero contido, as palavras de derramando por conta própria. - Eu te amo muito mais do que do que como um irmão. Eu te amo... de todas as formas possíveis e imagináveis.
- Eu também me sinto assim... - Sua voz soa chocada e ferida. - É... um sentimento tão imenso que às vezes acho que vai me engolir. É tão forte  que sinto que poderia me matar. E não para de crescer. e eu não posso... não sei o que fazer para estancá-lo. Mas... nós não podemos fazer isso... nos amar assim! - Sua voz falha.
"- Nós não fizemos nada de errado! Como nosso amor pode ser considerado horrível, quando não estamos fazendo mal a ninguém."
“Juntos, não fazemos mal a ninguém; separados, nós definhamos,"
"Não vou prestar atenção ao tique-taque da bomba-relógio na minha cabeça, não vou pensar no futuro, naquele buraco negro no qual nenhum de nós pode existir, juntos ou separados... Eu me recuso a permitir que o medo do futuro estrague o presente."

Aí veio a ANGUSTIA, eu tive que parar de ler o livro em determinada parte, eu simplesmente não consegui. Faltava apenas 40 páginas pra terminar o livro e eu não sabia mais se queria terminar. Eu não sabia que se aquilo que estava por vir eu aguentaria acompanhar. Durante todo o livro eu me via como uma observadora que sentia tudo que eles estavam sentindo e chegou uma hora que eu não conseguia mais aguentar.

Depois de algumas horas eu voltei a leitura e por fim terminei. Nesse momento eu senti DESESPERO, eu senti meu coração enrolado em arames farpados sendo apertado tando que doía respirar. Chorei em meu quarto por um bom tempo depois de terminar o livro.

Dei cinco estrelas pois a leitura é excelente, se você curte um bom drama vai amar esse livro. A coragem da autora de escrever sobre um tema tão polêmico merece isso. Não coloquei como favorito, pois meus livros favoritos tenho vontade de ler de novo, e esse com certeza eu não irei. Indico a leitura para pessoas fortes.

A diagramação da Editora Valentina foi perfeita, o livro é narrado em primeira pessoa com os capítulos divididos entre a Maya e o Lochan.
Eu cheguei a falar que me recusava a escrever a resenha de um livro que me deixou tão mal, mas a Nik falou que deveria dar minha opinião a respeito e aqui está ela. Uma obra inigualável, ímpar dentre tantos livros que li. Um livro inesquecível que sempre irá despertar emoções confusas em mim. Como uma coisa tão errada, pode parecer tão certa? Como já disse acho errado os irmãos juntos, mas como separar eles? Como não querer que o amor entre eles consiga superar todas as barreiras.

Vou ficando por aqui e depois de ler tantos dramas seguidos irei procurar leituras mais leves. Bye.

17 comentários :

  1. Oi Paula!

    Então, esse livro... Essa é a terceira resenha que leio sobre ele, mas não consigo criar a vontade de ler por ser algo tão... complicado. Uma amiga minha comentou que estava louca para ler, e na época eu procurei ver do que se tratava e cheguei a conclusão que por mais que eu tente ter a mente aberta para determinadas coisas, isso simplesmente não entra na minha cabeça, sabe? É terminantemente errado, e eu acredito que esse sentimento que a autora quis passar que eles desenvolveram um pelo outro possa ser devido a responsabilidade que eles assumiram juntos, por terem só um ao outro e tudo mais, mas ainda assim, eu não acho que sou do tipo forte para ler esse livro.
    Enfim, de qualquer forma, amei a sua resenha. A forma como você estruturou para descrever todos os sentimentos que teve ao ler esse livro ficou muito show!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, V.

      Esse livro me deixou um pouco "depressiva", eu sabia do que se tratava e queria ler de qualquer jeito, não tinha lido resenhas nem nada, mas queria saber o que acontecia dentro das páginas de Proibido. Enrolei um pouco e acabei comprando ele, logo que chegou passei na frente de vários livros que estão aqui parado. Não me arrependo da leitura, mas é um livro muito, mas muito pesado. Eu pensei que ficaria contra o romance de Lochan e Maya, mas conforme ia passando as páginas vi que eles eram perfeitos um para o outro. O final eu já suspeitava, mas fui até lá.
      Fico feliz que tenha gostado da resenha,

      Beijos.

      Excluir
  2. Oi!
    Estou muito interessada nesse livro.
    Vejo tantas resenhas positivas sobre ele, que estou com muita curiosidade para conhecer essa história. Ainda mais por ser um assunto tão delicado... um "tabu". Sei que preciso abrir a mente para gostar da história e sentir essa gama de emoções que você sentiu.
    Adorei sua resenha.
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eliana.

      Se você se envolver muito na leitura como eu, seja forte e se prepare para as emoções.Quando ler espero ver resenha em seu blog, aí tu me avisa viu?

      Beijos.

      Excluir
  3. Olá ,
    queria ser forte pra ler esse livro pois a história me chamou atenção,mas acho que não aguentaria sentir esse turbilhão de sentimentos enquanto leio o livro,por mais que pareça bom acho que largaria a leitura . Mas espero lê-lo daqui um tempo .
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gabriela.

      Tem que ser muito forte mesmo pra ler esse livro, espero que depois tu leia ele e curta.

      Beijos.

      Excluir
  4. Estive a ver e ler algumas coisas, não li muito, porque espero voltar mais algumas vezes,mas deu para ver a sua dedicação e sempre a prendemos ao ler blogs como o seu. Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante, e se desejar deixe um comentário. Abraço fraterno.António.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Antônio.

      Gosto muito de estar aqui no blog contando minha experiência com os livros, fico feliz que tenha gostado do blog. Irei visitar o Peregrino com certeza.

      Abraços.

      Excluir
  5. Caramba!
    Preciso mto ler esse livro!
    Ele está arrebentando com as emoções de todos q o leem!
    Fui na livraria esse fds e n tinha ele..=///
    Quase moooorriii!!!
    Mas tenho esperanças de chegar semana q vem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bianca.

      Eu fiquei doidinha assim que nem você, e quando o tive nas mãos li em apenas dois dias.
      Espero que tu curta a leitura e me avise depois o que achou.

      Beijos.

      Excluir
  6. Então, um tema um tanto quanto forte né ?!
    Sabe que é algo que eu ainda não consigo, não sei se pelo tema, pelo meu momento, mas é fato que não consigo imaginar isso. Não sei se porque tenho irmão, sei lá, acho nojento demais.
    Enfim...
    www.bookspelagi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,

      Giesele.

      Um tema muitoooo forte mesmo. Também acho bizarro demais, tenho dois irmãos.Mas quando tu lê o livro vai entrando na estória e se ambientando. Acaba que pra mim pareceu CERTO, mesmo sabendo que ERRADO. Eu torci por eles a todo momento. #

      Até mais.

      Excluir
  7. Apenas duas palavras pra esse livro: SEM CHANCES! hahahah amo dramas mas minha mente não tá preparada pra ler algo nesse estilo. Confesso que me senti tentando a ler mas... não, por agora, não... De qualquer forma, a resenha ficou perfeita! Abraços :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Victor.

      É um livro bem pesado este, quando estiver mais no clima leia.
      Eu fiquei lendo tanto drama que tive que dar uma parada. >.<

      Beijos.

      Excluir
  8. Nossa Paulinha você me deixou de cabelo em pé, lágrimas nos olhos e acho que não tem um pelo do meu corpo que não esteja arrepiado.
    Uau.... uau... que resenha verdadeira. Amei! Parabéns!

    Primeira resenha que leio desse livro e com toda certeza irei lê-lo. Aff quero muito agora.

    Beijocas da Deebs!
    http://www.leitorsagaz.com.br/2014/10/resenha-uma-noite-em-nova-york-tiago.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Deebs! Saudades de você.

      Ahhh esse livro acabou comigo, mas acho que eu tinha que ler ele. Quando tu ler eu quero saber o que achou. Que bom que curtiu a resenha. >.<

      Beijos.

      Excluir
  9. Oi,
    Eu amo PROIBIDO, fiquei muito confusa antes de ler, se deveria ler, mas depois que comecei,
    os preconceitos somes, sofremos juntos e por incrivel q pareça torcemos por esse casal.
    Tão jovens tão cheios de caráter e com tanto amor, é tanto sofrimento, que eu tb não queria terminar, fui ficando triste vendo o fim do livro, um livro surpreendente, marcante, corajoso.
    Impossível não admirar essa autora Tabitha.
    Um beijo!

    ResponderExcluir

Hey, gostou da postagem?
Então deixe sua opinião/crítica/elogio aqui!
O Paradise Books agradece seu comentário, obrigado pela visita!
obs.: Não respondemos comentários em anônimo; Não é permitido o uso palavras ofensivas; Não compartilhamos livros, isso vai contra a política de direitos autorais.