Resenha: Branca Como o Leite, Vermelha Como o Sangue - Alessandro D’Avenia

quarta-feira, 28 de maio de 2014


Nome: Branca Como o Leite, Vermelha Como o Sangue
Autor (a): Alessandro D’Avenia
Editora: Bertrand
Classificação: 4.4 (Skoob)
Páginas: 365


Vi em um blog a indicação desse livro e fiquei curiosa quanto ao seu conteúdo. O titulo dele me chamou muito atenção, pois tem uma frase que amo do anime Bleach que fala das mesmas cores.
Como uma viciada em livros passeando por uma biblioteca o vi em uma prateleira e o peguei emprestado para leitura. Vou contar pra vocês um pouquinho da estória do Leo.  




Temos como narrador da estória: Leo. Um adolescente típico no começo do livro, ele tem 16 anos e não gosta muito da escola. Joga futebol com seu melhor amigo da escola e faz apostas bobas como quantos sanduiches cada um consegue comer. Temos também a Silvia, uma garota encantadora, que é compreensiva e uma grande amiga dele, gosta dele exatamente do jeito que ele é. Leo tem um amor platônico por Beatriz, uma garota que estuda no mesmo colégio que ele, mas ele apenas a observa de longe.
“Olhos verdes que quando ela os arregala ocupam todo o rosto. Cabelos vermelhos que quando ela os solta o alvorecer te cai em cima. Poucas palavras, mas exatas. Se ela fosse cinema gênero a ser inventado. Se fosse perfume: o cheiro da areia de manhã cedo, quando a praia está sozinha com o mar. Cor? Beatriz é vermelho. Como o amor é vermelho. Tempestade. Furacão que te varre para longe. Terremoto que despedaça tudo. É assim que eu me sinto sempre que a vejo. Ela ainda não sabe, mas um dia destes eu vou dizer o que sinto.”

Leo não gosta da cor Branca, pois acha que ela significa o nada, o vazio. Mas para ele Beatriz é o Vermelho, a vida. O problema começa quando Beatriz passa dias sem vir à escola, ele descobre que a garota sofre da doença do sangue branco, Leucemia. Aquele adolescente típico que conhecemos no começo do livro começa a amadurecer.
Nasci no primeiro dia de aula, cresci e envelheci em apenas duzentos dias”
Um professor novo em sua escola recebe de seus alunos o apelido de Sonhador, ele questiona a classe quais são seus sonhos. Os sonhos de Leo estão ligados a Beatriz. O garoto começa a busca por seus sonhos, o que realmente é importante em sua vida, suas duvidas quanto a Deus .  O garoto questiona que se Vermelho é vida porque o sangue de Beatriz está perdendo para o Branco de sua doença e porque Deus permite isso.Vemos seu amadurecimento , sofremos com ele em alguns momentos e nos emocionamos em outros. Um livro encantador, com capítulos pequenos e poucos diálogos. Gênero Sick-lit.

"Mas o amor é outra coisa. O amor não dá paz. O amor é insone. O amor é elevar a uma potência. O amor é veloz. O amor é amanhã. O amor é tsunami.O amor é vermelho-sangue."

Fiquei um pouco receosa de resenhar um livro que para mim a leitura foi muito pessoal. Me identifiquei em vários aspectos com Leo, seus medos, sonhos,  questionamentos a respeito de Deus e da vida. Uma frase que me marcou era algo assim: A vida é vazia - branca-, vamos colocando coisas para colori-la, mas ela é vazia no final. Já devolvi o livro e não tenho como consulta-lo. Alessandro fez um excelente trabalho e me deixou encantada com seu livro, espero em breve ter a oportunidade de ler algo dele novamente.
Se alguém já leu me diz o que achou.

A frase de Bleach:

Vermelho como sangue
Branco como o osso

Vermelho como solitude
Branco como o silencio

Vermelho como o instinto selvagem
Branco como o coração de Deus

Vermelho como o ódio degelado
Branco como um frio e doloroso choro

Vermelho como as sombras famintas da noite
Como o sinal que dispara através da lua
Que brilha branco e dispersa vermelho

Beijos e até mais.

6 comentários :

  1. Eu sempre leio resenhas positivas sobre o livro por aí e a cada vez fico morrendo de vontade de conferir a obra. Sério. Fiquei mais curiosa ainda e adorei o trecho que vc colocou no fim da resenha.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Inês.
      Eu adorei este livro, espero que em breve tu possa ler. Bleach. <3

      Excluir
  2. Oiee ^^
    Não conhecia esse livro, essa é a primeira resenha que eu leio dele, e vou te dizer, gostei bastante. Parece ser bem tocante e encantador, quero ler logo ^^
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, DriH.
      Que bom que gostou da resenha, fico feliz. Assim que tu ler me fala o que achou.

      Beijos.

      Excluir
  3. "Às vezes você encontra na música as respostas que procura, quase sem procurar. E, mesmo que não encontre, pelo menos acha os mesmos sentimentos que está experimentando. Alguém já os experimentou. Você não se sente sozinho"
    Acho que eu poderia dizer o mesmo que o Leo não só em relação a música mas também aos livros. Inclusive, livro certo na hora certa! Obrigado por ter postado essa resenha e despertado meu interesse haueahj estou lendo e curtindo mt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hello, Victooor.

      Fiquei muito contente em saber que tu leu o livro e gostou. Muito fofo, né?
      Beijos.

      Excluir

Hey, gostou da postagem?
Então deixe sua opinião/crítica/elogio aqui!
O Paradise Books agradece seu comentário, obrigado pela visita!
obs.: Não respondemos comentários em anônimo; Não é permitido o uso palavras ofensivas; Não compartilhamos livros, isso vai contra a política de direitos autorais.