Resenha: As Três Partes de Grace - Robin Benway

quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Título: As Três Partes de Grace
Autora: Robin Benway
Classificação: 4.6 [Skoob]
Páginas: 322
Editora: Galera Record
Gênero: Drama Familiar
“ Quando Grace se deu conta do que tinha acontecido, já estava no quinto dia do segundo trimestre da gravidez. O bebê era do tamanho de um pêssego. Grace tinha pesquisado no Google.”

Aos 15 anos de idade Grace teve uma filha, e encara uma decisão difícil, entrega-la para adoção. E por ser adotada, Grace se vê diante de algumas questões: Qual família é merecedora de sua Pesseguinha? Ela está sendo uma boa mãe? Ela terá bons pais?
Ver sua filha sendo levada a fez encarar emoções conflitantes, assim como também a fez ter convicção de uma coisa: ela mesma quer conhecer sua mãe biológica; e a partir disso vai descobrir que tem dois irmãos.


Resenha : Minha Sombria Vanessa - Kate Elizabeth Russell

segunda-feira, 3 de agosto de 2020


Título: Minha Sombria Vanessa
Autora: Kate Elizabeth Russel
Classificação: 4.4 [Skoob]
Páginas: 432
Editora: Intrínseca
Gênero: Dark, Ficção Adulta
Esta não é uma história de amor.

Quando soube desse livro senti uma curiosidade enorme, vi apenas uma resenha e foi suficiente para me fazer comprar. Quero deixar frisado que o livro tem gatilhos em relação a pedofilia e relacionamento abusivo.
Aqui temos Vanessa Wye, uma mulher de 32 anos que trabalha em um hotel, e, que descobre que seu professor do ensino médio, Jacob Strane, está sendo acusado de abuso sexual por uma ex-aluna. Isso a faz relembrar acontecimentos do passado, do internato que estudou e de como era talentosa e solitária.
Os capítulos são divididos entre 2017, em que Vanessa tem 32 anos, e 2000, que é a fase em que vai para o internado e conhece Strane.
Quando chego á aula de literatura norte-americana, a última do dia, a primeira coisa em que reparo é que o Sr. Strane trocou de camisa desde o discurso de boas-vidas. Ele está em pé na frente da sala, encostado no quadro negro, os braços cruzados, parecendo ainda maior do que no palco.

Resenha: As Cavernas de Aço - Isaac Asimov

sábado, 7 de março de 2020


Título: As Cavernas de Aço
Autora: Isaac Asimov
Classificação: 4.3 [Skoob]
Páginas: 304
Editora: Aleph
Gênero: Ficção CientíficaSci-fi, Romance Policial

Em as Cavernas de Aço vamos conhecer Elijah Baley, um investigador da polícia, que acaba de ser escalado para solucionar o caso misterioso do assassinato do embaixador dos Mundos Siderais. Mas receber um caso tão importante vem com uma condição, os Siderais querem que ele trabalhe com um parceiro enviado por eles. R. Daneel Olivaw é um robô, mas que tem uma aparência humanóide e se passaria tranquilamente por um humano durante a investigação.

Resenha: A Paciente Silenciosa - Alex Michaelides

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Título: A Paciente Silenciosa
Autora: Alex Michaelides
Classificação: 4.3 [Skoob]
Páginas: 350
Editora: Record
Gênero: Thriller Psicológico 
Alicia Berenson decide fazer um diário, a pedido de seu marido, na qual ela desabafa sobre seus sentimentos e acontecimentos cotidianos. Porém, algo acontece.

Alicia Berenson tinha 33 anos quando matou o marido.

Desde que assassinou seu marido, Alicia não disse uma palavra. Theo Faber, psicoterapeuta forense da Grove - local onde Alicia está internada, está convencido de que é capaz de fazê-la falar e entender o que aconteceu.

Não havia tempo a perder: Alicia estava perdida. Desaparecida.
E eu pretendia encontrá-la.
A questão é, Theo está pronto para ouvir a verdade?

Resenha: A Filha do Rei do Pântano - Karen Dionne

sábado, 25 de janeiro de 2020

Título: A Filha do Rei do Pântano
Autora: Karen Dionne
Classificação: 3.9 [Skoob]
Páginas: 266
Editora: Verus
Gênero: Thriller Psicológico
Helena Pelletier tem uma vida tranquila na Península Superior com seu marido e duas filhas. Mas às vezes os demônios do passado voltam a assombrar. Sua mãe foi raptada por um homem quando pequena e foi feita refém, ninguém a viu por 14 anos. E nesses longos 168 meses, Helena nasce e ama a vida que tem no Pântano.
Mas eu amava minha vida no pântano e fiquei arrasada quando tudo desmoronou. Eu fui a razão de tudo ter desmoronado, claro, mas não entendi bem o papel que desempenhara naquilo até muito mais tarde. E, se soubesse então o que sei agora, as coisas teriam sido bastante diferentes. Eu não teria adorado meu pai. Mas desconfio de que ainda teria amado caçar e pescar.